terça-feira, 18 de agosto de 2015

PASSARAM AS ESTAÇÕES - FIM E RECOMEÇO.

Prezados leitores,

Durante um ano tentamos levar esse blog adiante, sempre com o espírito em busca de transformar o vinho  em uma bebida popular. Nos focamos em vinhos alinhassem qualidade e bom preço, junção fundamental para que a bebida de Bacco, ou qualquer outro produto, seja consumida em grande escala no Brasil. No entanto, a empolgação inicial que nos levava a enfrentar inúmeros desafios foi minguando, como vocês puderam perceber no espaçamento entre cada postagem, parecia que éramos uma vinha velha que começou a produzir quase nenhum grão. Esta perda de força gradativa se deu por inúmeras razões, a principal foi o custo para manter nosso consumo condizente com o número de postagens. Contudo, também foi possível perceber que nosso espírito vínico nunca se deu por vencido, pois eventualmente tentávamos retomar os trabalhos. Nos demos conta, então, da impossibilidade de continuar o blog, por mais que ficássemos profundamente incomodados com nosso desenraizamento.

As estações passaram, o inverno hibernal passou, e junto com elas nosso silêncio, desejantes de poder lutar pelo vinho resolvemos ser de novo os primos do vinho. Agora, contudo, sabendo do custo que é embarcar nessa luta quase que solitária, procuramos uma nova forma, um novo caminho e nos plantamos em novo terroir, com a certeza de que seremos vinhas velhas a produzir excelentes uvas para excelentes vinhos.

Aguardem, que a novidade já tá descansando na adega!!!!!!

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Maximo Boschi Speciale Chardonnay 2007 - Vivo e Saboroso

Com certeza uma das mais interessantes vinculas brasileiras. Seus vinhos sempre envelhecidos, complexos e a excelentes preços, são com certeza um dos melhores caldos que se pode degustar em terras tupiniquins em sua faixa de preço. Falo por já ter degustado alguns de seus vinhos tintos e espumante de entrada mais de uma vez, mas foi a primeira vez que apreciei seu vinho branco, que só veio a comprovar minhas impressões.

O vinho varietal Chardonnay faz sua fermentação malolática em barricas, onde, depois, passa mais 5 a 6 meses amadurecendo. Por fim, permanece em cave por mais nove meses. Ok, você deve estar se perguntando: "mas o vinho é de 2007, ele ainda está vivo?". Em geral, vinhos brancos duram apenas 3 anos em garrafa, mas os grandes dura muitos anos. Esse é um grande vinho? Talvez não seja dos maiores, mais com certeza é muito superior aos vinhos simples e caros que abundam o mercado.

AVALIAÇÃO PRIMUS

 Preço: R$52,90

Visual: Dourado com reflexos esverdeais.

Olfativo: Grama cortada, abacaxi, frutas brancas, flores, mineral, manteiga e baunilha. Complexo, intenso e persistente.

Gustativo: Médio corpo, com alta acidez. O lado mineral e o vegetal se apresentam mais claramente. O amanteigado e o resto aparecem e dão corpo. Persiste e não desaparece.

Conclusão: Fantástico e jovem. Se comprar é para comer algo, ou guarde que durará e evoluirá. 

 

Nota 

Qualidade: 10   Preço: 03 

NOTA PRIMUS: 8,3 

COMPRE VÁRIOS

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Miolo Reserva Tannat 2012 - Um Tannat Nacional


Oi gente, o Primus Vinho ficou muito tempo sem postagem, não por não querermos, mas pela dificuldade que temos em manter vivo este blog com o nosso próprio tempo e bolso. Contudo, ultimamente temos recebido pedidos para voltarmos a ativa, mensagens de dúvidas sobre vinhos e elogios ao blog, por isso resolvemos reativá-lo com um caráter mais direto e dinâmico, com postagens que vão logo ao que interessa. Esperamos que vocês apreciem. Um Brinde a Todos.



Imagem ilustrativa (o ano correto é 2012)
O vinho de volta é nacional, o Miolo Reserva Tannat 2012, excelente safra no Brasil. Vamos ao vinho:


AVALIAÇÃO PRIMUS

Preço: R$ 34,90

Visual: Violáceo escuro, quase opaco, mas muito brilhante (o brilho no vinho denuncia sua acidez).

Olfativo: Frutas negras com o típico aroma de folhas molhadas dos vinhos brasileiros em primeiro ataque, leve baunilha e café ao fundo, em média para boa intensidade, mas media permanência.

Gustativo: Confirma o nariz, apresenta taninos de boa qualidade, com acidez alta equilibrando e álcool imperceptível. Termina com fundo frutado e terroso, permanecendo bem.

Conclusão: Não é um grande vinho, mas é muito bom. Harmonize com um corte alto de carne vermelha ou uma picanha na brasa.

Nota

Qualidade: 07   Preço: 07

NOTA PRIMUS: 7.0 

BOA COMPRA

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Miolo Reserva Chardonnay 2011 - Simples e Correto

Mais uma avaliação para o verão. Como falei, degustei uma série de vinhos brancos, em busca de boas compras, para que vocês possam refrescar esse calor excessivo. Porque, se nos países do norte anda frio paca, bom para um vinho tinto de boa graduação alcoólica, aqui anda um calor de rachar, ideal para brancos leves e refrescantes. Vamos ao vinho.



O vinho Segundo a Vinícola


“Vinho branco jovem, apresenta cor verde-dourada, o aroma é intenso, complexo e sensivelmente harmonioso ao paladar. 13,5%. de álcool.  Fermentação alcoólica em tanques de aço inox e barrica nova de carvalho francês. Conservação sobre borras (bâtonnage) nos tanques de aço inox e nas barricas, sem realização de fermentação malolática”. fonte


AVALIAÇÃO PRIMUS

Preço: R$27,80

Visual: Amarelo palha com reflexos esverdeados.

Olfativo: Aromas de frutas brancas, banana e baunilha. Leve intensidade e permanência.

Gustativo: Leve, com acidez na medida, confirma o nariz nos aromas, na intensidade e na duração.

Conclusão: Um vinho correto, despretensioso, mas bem feito.

Harmonização: Entradas em geral cairão bem com esse vinho.


NOTA
Sabor: 07   Preço: 08

Nota Primus: 7.3

Boa Compra.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

León de Tarapacá Sauvignon Blanc 2011 - O Lão Não Rugiu

Resolvi comprar diversos vinhos brancos para aproveitar o verão escaldante com vocês. Nossas últimas postagens foram o começo desse processo. Obviamente, isto não quer dizer que iremos negligenciar o vinho tinto, deus me livre. Pelo contrário, sempre que der a noite irei degustar algum tinto, já tenho um até avaliado para postar aqui. Sem mais delongas, vamos ao vinho.

O Vinho Segundo a Vinícola
Amarelo esverdeado.
Boa intensidade, com aromas citrinos como tangerina e limão. Toques de pêssego branco e grama recém-cortada.
Na boca é cintilante e alegre, com um sabor doce. fonte



AVALIAÇÃO PRIMUS

Preço: R$24

Visual: Amarelo palha transparente.

Olfativo: Maracujá em primeiro plano, lichia e flores brancas em segundo, junto com álcool. De grande intensidade e média permanência.

Gustativo: Mineral, leve maracujá e lichia, alguma presença, sem muita força. Dura um pouco. O álcool sentido no nariz, porém, deixa um leve adocicado em boa e torna o vinho um pouquinho quente. Ou seja, peca-se na maciez que não tem contrabalanço na acidez mediana.

Conclusão: Na tentativa de fazer um vinho fácil de beber, ao estilo mercadológico, moderno, o vinho saiu desequilibrado em boca. Talvez, se a acidez fosse um pouco mais alta e o álcool menor, teríamos algo saboroso, já que no nariz se mostrou interessante.

NOTA
Sabor: 04     Preço: 09

NOTA PRIMUS: 5.3

TO FORA

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Casa Valduga Premium Leopoldina Chardonay 2012 - A Realeza Homenageada.

Buscando um bom acompanhamento para o calor me deparei com o vinho de hoje, um chardonnay nacional da excepcional safra 2012, produto da Casa Valduga. Como já havia degustado um Cabernet Franc da mesma, veja aqui, assim como um dos seus espumantes, veja aqui,  e gostado dos dois (já havia degustado outros espumantes dela, porém antes da existência do blog), não tive dúvida  na hora de comprar. Além, é claro, de o preço ser realmente competitivo, R$36,90, o que é raro entre os nacionais (obviamente não passa por barrica).

O vinho também chama a atenção pelo nome, Leopoldina, nome de uma princesa brasileira, filha de Dom Pedro II com Tereza Cristina.  A monarquia batizou com o nome da princesa a via mais importante a época, a onde, hoje, é o Vale dos Vinhedos. Por esse motivo, a Casa Valduga escolheu chamar uma de suas linhas de Leopoldina. 


O Vinho Segundo o Produtor

“Visão: Coloração amarelo palha, límpido e brilhante.
Olfato: Surpreendente fineza e intensidade nos aromas, destacando notas de frutas tropicais e frescas, como maçã, pera e abacaxi.
Paladar: Pleno, com bom ataque de boca e muito frescor, apresenta equilíbrio e untuosidade. Final de boca é persistente, com retrogosto frutado”. fonte


AVALIAÇÃO PRIMUS

Visual: Amarelo palha com leves reflexos verdeais. Muito transparente.

Olfativo: Frutas brancas, pera e maça identificáveis, uma goiaba verde bem de leve, amanteigado com um leve frescor acompanhado de flores brancas. Leve e de média para baixa intensidade.

Gustativo: Em boca tem presença apesar da leveza, confirma as núncias aromáticas, tem acidez correta e uma mineralidade surpreendente para o vinho. A mineralidade perdura em boca.

Conclusão: Simples, mas elegante. Cai muito bem em dias de calor.

Harmonização: Peixe grelhado com batatas souté, ou entradas em geral, são boas pedidas.


Nota
Sabor 08    Preço 06

Nota Primus: 7.5
BOA COMPRA

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

OS PRIMOS DO PRIMUS VINHO ESTÃO DE VOLTA!!! E COM UMA VINHAÇO PARA O VERÃO!!!

Prezados leitores, acabou-se o descanso das nossas férias, estamos de volta para compartilhar com vocês nossas experiências. Queremos dizer, no entanto, que mesmo estando de férias não nos afastado do mundo vínico, o que seria um crime imperdoável por Baco, e não seríamos loucos de deixar um deus com raiva da gente. Por isso, só por isso, continuamos a nos deliciar com bons vinhos.

Eu, por exemplo, fui degustar vinhos na Europa e tenho algumas boas dicas para dar, se, obviamente, conseguir me lembrar, depois de tudo  o que degustei lá (brincadeira, bebi com moderação...). Como meu país de entrada no velho mundo foi Portugal, trago hoje uma dica sensacional que podemos apreciar aqui em terras tupiniquins, eu já o fiz.


Para iniciarmos o ano de degustação do Primus Vinho, começamos com essa excelente compra:   Vinhas Velhas branco 2010 (Luis Pato), que a importadora Mistral está vendendo até o final deste mês em liquidação. Seu custo normalmente em torno de  68 Reias está por 50 Reias e 51 centavos. Na verdade diversos vinhos estão em liquidação. Mas vamos ao vinho.

O Vinhas Velhas é do produtor Luis Pato, que tenho que confessar que sou fã, pois seus vinhos tendem a ser muito bons, buscando elegância e não potência. Ou seja, ele produz vinhos menos ao estilo mercadológico, vulgo "moderno", que tendem a ter muito álcool, barricas novas de carvalho em profusão,  aromas frutados em excesso (chamado de fruit bomb), acidez mais baixa, etc. O vinho de hoje é uma excelente representação do oposto disso: feitos a partir de vinhas velhas, o que se entende no mundo vínico como vinhas com mais de 30 anos de idade no mínimo, tem corpo e acidez para perdurar e poderia ter passado até por  barrica, mas não. Sem mais delongas, vamos a avaliação.


O Vinho Segundo o Produtor

"Este vinho é um misto de uvas de 3 castas - Bical (50%) em solo argilo-calcário, Cerceal (25%) e Sercialinho (25%), em solos arenosos". fonte

Para conhecer as castas: a casta Bical costuma produzir vinhos muito frescos  e aromáticos, sendo muito utilizada para a produção de vinhos espumantes; a Cerceal geralmente é utilizada em cortes, como o do vinho analisado, ela é muito acida e exala aromas delicados; a Sercialinho, essa nem conhecia e por isso deixo a explicação para o próprio Luis Pato, em entrevista concedida a Marcelo Copello, que você pode ler aqui: "A casta Sercialinho é um cruzamento da Cerceal e Alvarinho e só nós temos na Bairrada. É incrível o fato de Portugal ter uma cultura de vinho tão grande e só um produtor ter uma determinada casta. É uma casta que consegue, ao mesmo tempo, ter uma alta graduação alcoólica, tipo 13%, e uma acidez bem alta também, uma coisa incrível. É ótima para fazer esse tipo de vinho por ter uma acidez muito boa".



AVALIAÇÃO PRIMUS

 Preço: R$ 50,50 em promoção (Importadora Mistral)

Visual: Amarelo palha claro, com reflexos verdeais bem leves. Transparente.

Olfativo: Frutas brancas, amanteigado, flores, um abacaxi e um pêssego em segunda camada. Intenso, com média para alta persistência.

Gustativo: Confirma o nariz, com muita presença, untuosidade interessante, acidez viva e maciez perfeita. Permanece com seus aromas em boca por muito tempo.

Conclusão: Um vinhaço, para acompanhar uma comida.

Harmonização: Tradicionalmente o queijo de cabra  combina bem com sauvignon blanc, mas, neste caso, será muito bem escoltado pelo nosso vinho (melhor que muito SB mercadológico, ou novo mundista se preferir). Uma berinjela no forno com azeite, brusquetas e saladas a base de tomate serão fantásticas combinações também.


NOTA 
 Sabor: 10      Preço: 03*

   COMPRE VÁRIOS


 *em promoção